RFID e os supermercados do futuro

Etiquetas de rádio frequência criam “supermercados inteligentes”

tumblr_inline_mqcxpjitGT1qz4rgp.jpg

Filas em supermercados podem se tornar tão obsoletas quanto os antigos entregadores de leite. Pelo menos essa é a promessa do RFID (Radio Frequency Identification), tecnologia de transmissão de dados através de ondas de rádio.

O que é RFID?

RFID é uma tecnologia de identificação de dados através de ondas de rádio. Com pequenos circuitos impressos nas chamadas etiquetas RFID, um leitor pode decodificar as informações ali presentes e, então, tomar uma série de ações baseadas naquela informação. O RFID já é usado para controle e rastreamento de inventário e estoque, bem como para registrar em tempo real informações de diversos produtos. Também é usado na cobrança de tarifas em pedágios e estacionamentos.

O RFID já é uma tecnologia bem difundida e aceita desde 2003, mas alguns custos, como o tamanho dos circuitos e o seu preço de produção, impediram que ele fosse adotado em larga escala. Contudo, uma nova etiqueta RFID desenvolvida pela Sunchon National University (Coreia do Sul) promete resolver esse problema. A nova etiqueta é uma ótima opção para a substituição dos códigos de barra, já que pode ser impressa diretamente em produtos. A etiqueta usa uma tinta especial composta por nanotubos e custa aproximadamente 3 centavos de dólar para ser produzida. A expectativa é que o preço baixe para menos de um centavo por unidade, tornando a ideia viável em larga escala.

Supermercados do futuro

tumblr_inline_mqcxq7IqUG1qz4rgp.png

O RFID usado em supermercados não é uma novidade, mas a tecnologia ainda precisa ser refinada e difundida para realmente ganhar força. Com a miniaturização dos circuitos e do barateamento de produção, a ideia pode virar uma realidade próxima muito em breve.

Com etiquetas impressas nos produtos do supermercado, é possível obter maior controle sobre os produtos. Supermercados podem saber exatamente o nível de estoque de determinado produto, quais estão para vencer e onde eles estão localizados dentro da loja, sem mencionar que é possível saber exatamente o que cada cliente gosta de comprar, levando a newsletters mais eficientes e certeiras. Através de monitoramentos de outros dados como temperatura, umidade e luminosidade, os supermercados conseguiriam garantir produtos mais frescos e de maior qualidade, levando a uma maior satisfação dos clientes e reduzindo gastos com perdas.

Mas os benefícios não são apenas para as lojas. Os consumidores conseguem obter mais informações sobre determinados produtos. Calorias, ingredientes, data de validade. Em conjunto com uma geladeira “inteligente” ou aplicativos que conseguem ler as etiquetas RFID, o consumidor pode saber quando um produto está para vencer ou quando acabou, criando listas de compras automáticas, que podem ser compartilhadas com membros da família. Mas o maior benefício do RFID talvez seja a eliminação de filas e facilidades na hora de pagar. Com alcance de leitura que varia entre alguns centímetros a 500 metros, bastaria passar as compras por um leitor de RFID na saída do supermercado. O sistema então cria uma fatura que pode ser direcionada para o cartão de crédito ou débito na conta do cliente. É o fim das filas. Os clientes também podem procurar por itens específicos dentro de um supermercado, economizando tempo na hora das compras.

O RFID foi uma das inovações que uma loja conceito da rede de supermercados Metro, na Alemanha, introduziu em seu supermercado do futuro. As etiquetas estão presentes em mais de 37.000 produtos da loja e já transmitem informações em tempo real de estoque e localização, além de permitirem que os clientes possam pagar os itens em computadores especializados que debitam o valor da compra diretamente na conta do cliente.

A loja funciona como uma encubadora de ideias para a rede. As inovações que são introduzidas na loja conceito são aplicadas nas demais lojas da rede, caso a experiência seja satisfatória. E a união entre vendas e tecnologia em supermercados tem se provado benéfica: as vendas subiram em 15% e o número de clientes cresceu em 20% desde que a loja passou a adotar novas tecnologias. Confira mais sobre as ideias que estão em curso no supermercado aqui.