A revolução dos drones

Pequenos aparelhos, semelhantes a helicópteros, guiados por controle remoto: parece brinquedo de criança, mas trata-se do drone. A tecnologia, conhecida também como Vant (Veículo Aéreo Não-Tripulado) no Brasil, ganha cada vez mais funções, que variam conforme os vários modelos existentes. As possibilidades oferecidas pela tecnologia, seja para a indústria, a segurança ou o uso pessoal, mostram como os drones estão causando uma revolução de usos e costumes da sociedade. Os aparelhos voadores são capazes de facilitar a nossa vida em vários sentidos e a ajudar em situações das mais complicadas possíveis.

Surgimento

Os primeiros drones foram criados em 1953, nos Estados Unidos, para realizar serviços de espionagem. Devido ao seu barulho, que ainda persiste nos dias de hoje, ganhou o nome de drone, que significa “zangão” em inglês. Na década de 90, o país começou a equipar os drones com armas, que foram utilizados pela primeira vez em 2001, na guerra do Afeganistão. Atualmente, ainda que continuem a servir para fins militares, os drones ganharam diversas outras funções.

Nas alturas

Por serem capazes de voar e alcançar grandes altitudes com facilidade, o drone tem usos muito úteis ligados a essa funcionalidade. Já se tornou comum seu uso para estudar áreas de risco nas cidades, por meio de vídeos e fotos produzidos pela privilegiada vista de cima. Por conseguirem chegar em áreas de difícil acesso, servem também para organizações como o Instituto de Pesquisas Tecnológicas, sediado na cidade de São Paulo, onde são utilizados para fotografar e montar mapas com mais precisão e detalhamento.

Há empresas do setor imobiliário brasileiro que também já utilizam o drone em seus serviços. Um cliente que queira saber qual vista terá de um apartamento comprado na planta, por exemplo, pode sabê-lo por meio do drone, que voa até a altura correspondente e apresenta o visual da futura janela. As possibilidades são várias!

Revolução no dia a dia

A Amazon, assim como outras empresas, têm pensado a utilização do drone para entregas das compras online. A ideia da empresa é fazer uso da engenhoca para entregar, na casa do cliente, o que ele comprar no site da empresa. Com isso, a expectativa é deixar o serviço mais rápido e eficiente, já que um drone não pega trânsito, por exemplo. Outra forma interessante de se utilizar o drone é em plantações. O aparelho pode servir tanto para espalhar água, fertilizantes ou pesticidas na plantação, de forma rápida e prática, como para tirar fotos da área, o que pode ser útil para avaliar o crescimento das plantas.

Mais um super-poder

A vista que os drones alcançam já foi descoberta pelos eventos esportivos, que aproveitam para incrementar suas transmissões com vistas dinâmicas do alto e de ângulos diversos. Certamente, as Olimpíadas de 2016, no Rio, farão uso maciço dessas aeronaves.

Os drones têm se popularizado cada vez mais, e sua chegada na vida de pessoas comuns faz surgir novas funções em termos de imagens. Muitos usuários aproveitam seu drone para tirar fotos de belas paisagens ou de ângulos incomuns. Já existe até mesmo uma rede social voltada apenas para imagens produzidos por drones, o Dronestagram. A Onoffre acredita que as diferentes tecnologias estão criando uma época de "super-poderes" para os seres humanos. Através delas, conseguimos uma série de habilidades que ultrapassam os limites naturais do nosso corpo e consciência. Com os smartphones, por exemplo, conseguimos uma capacidade de cálculo praticamente infinita. "Perder-se" virou um conceito do passado, já que possuímos um GPS em nossos bolsos, a todos os instantes. O drone é mais uma dessas tecnologias que possibilitam que alcancemos novos patamares, ao democratizar a capacidade de voar. A popularização e facilidade de operação destes veículos promete revolucionar a logística das empresas e até mesmo a forma com que usamos os serviços de entrega, tais como Correios e motoboys.

Além disso, os drones fornecem uma nova forma de exploração de lugares, podendo ir a locais inatingíveis aos seres humanos ou, ainda, como forma de garantir a segurança dos que virão. Um bom exemplo disto é o trabalho do diretor de imagens Eric Chang, que usou um drone Phantom 2 e câmeras GoPro para obter imagens impressionantes da explosão de um vulcão na Islândia:

Vale a pena ficar atento para a rápida evolução dos drones e os novos modelos de negócio e oportunidades que eles já vêm carregando.