Pagamento mobile: como e quando?

Vivemos cada vez mais em uma sociedade conectada. Criar dispositivos que facilitem o dia a dia dos usuários tem sido uma busca constante para as grandes empresas de tecnologia. Uma novidade que vem crescendo a partir desse ano aqui no Brasil é o pagamento de contas através de dispositivos móveis. Os dispositivos móveis vêm de fato mudando o comportamento do consumidor no Brasil e no mundo inteiro. Somente nos Estados Unidos, em 2014, o pagamento por proximidade, wireless, movimentou 4 bilhões de dólares. Até 2017, essa cifra promete se multiplicar por 10. Mas quais são e como funcionam essas tecnologias para pagamentos mobile?

Apple Pay – A inovação começa por aqui

O Apple Pay foi lançado a partir de um sistema que substitui as carteiras físicas e o pagamento por cartão de crédito.

Com um sistema bem simples, o consumidor precisa apenas cadastrar seus cartões no aplicativo e selecionar qual vai usar na hora de pagar. O pagamento é confirmado por um sistema de tecnologia NFC.

Transações via NFC não são novidades no mercado, mas a grande ideia da Apple foi ter lançado sua tecnologia já em parceria com bancos, operadoras de cartão de crédito e, especialmente, diversas redes de varejo, garantindo usabilidade para o seu sistema.

Esse tipo de transação é segura?

Totalmente. No caso do Apple Pay, a empresa garante que todos os dados bancários dos clientes, assim como as compras feitas, não são registrados. Isso evita que hackers roubem senhas e, consequentemente, fundos financeiros.

A Apple ainda afirma que todo cliente tem uma conta única e codificada por um chip especial que fica no aparelho celular. Isso significa que cada consumidor só pode fazer transações a partir do seu próprio aparelho. Para deixar o pagamento ainda mais seguro, o aplicativo usa um reconhecimento biométrico para confirmar todas as compras feitas.

Mobile Banks também contam

Não é só o Apple Pay que vem aguçando a vontade dos consumidores de pagar suas contas e compras usando um aparelho celular. Cada vez mais os aplicativos de bancos ficam inteligentes e cheios de funcionalidades. Aqueles produtos que existiam apenas para mostrar saldo, hoje já fazem transferências, realizam pagamentos de boletos, usam a câmera para pagamento com cartão de crédito e até transferem dinheiro usando apenas o número do celular do beneficiado.

E como andam os consumidores?

O uso de aplicativos está cada vez mais presente até mesmo na vida de pessoas mais "offline", os chamados "late adopters", por conta de suas facilidades. De acordo com dados divulgados pelo Bando Bradesco, o crescimento de transações usando o aplicativo de mobile bank da empresa do ano de 2013 foi praticamente o mesmo somente no mês de maio de 2014. Em números isso significa que em 2013, entre janeiro e maio, o brasileiro realizou 290 milhões de transações feitas apenas com celular. Já em maio desse ano, foram 140 milhões de transações apenas no mês de maio.

A expectativa é que até os próximos quatro anos os pagamentos via dispositivos móveis serão os mais utilizados entre as pessoas do mundo inteiro. Isso só mostra o interesse pela facilitação de suas transações e também o apreço pela segurança na hora de sair de casa com dinheiro no bolso.